terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Trabalhadores do SAAE de Extremoz garantem direitos e conquistas em novo ACT
Em negociação realizada no dia 16/03, os dirigentes sindicais, os empregados e gestores da autarquia chegaram a um entendimento de que a preservação dos benefícios é o melhor caminho

SINDAGUARN.COM.BR
Secretaria de Comunicação do Sindágua/RN

A direção do Sindágua/RN garantiu a continuidade dos direitos e conquistas dos trabalhadores do SAAE de Extremoz em novo Acordo Coletivo. Em negociação realizada no dia 16/03, os dirigentes sindicais, os empregados e gestores da autarquia chegaram a um entendimento de que a preservação dos benefícios é o melhor caminho para manter a tranquilidade do quadro funcional e a qualidade dos serviços prestados a população, sobretudo, nesta fase de transição política e financeira que passa a instituição.

Negociação em crise

O SAAE de Extremoz passa por uma greve crise financeira com R$ 459 mil em contas de energia atrasadas e outras R$ 6 milhões cobradas juridicamente pela COSERN. Os dados foram passados pela diretoria da autarquia que afirma ter recebido da antiga gestão apenas R$ 70 mil em caixa. Apesar do quadro deficitário, o SAAE mostra viabilidade financeira com uma arrecadação de R$ 680 mil apenas no mês de fevereiro de 2017.

Uma das saídas apontadas pela atual gestão do SAAE de Extremoz é terceirizar os serviços prestados pela autarquia, uma vez que por motivos legais está impedida de realizar concurso público. Outro ponto abordado foi o questionamento legal do Acordo Coletivo de Trabalho uma vez que os trabalhadores estão no regime Estatutário este instrumento de negociação ao ver dos gestores municipais não pode ter características dos CLTistas.

Desatando o nó

A direção do Sindágua/RN se posicionou em defesa dos trabalhadores colocando a necessidade da preservação dos direitos e benefícios historicamente conquistados. Ao ver do Sindicato há necessidade mesmo nos momentos de crise de valorizar os trabalhadores que são os responsáveis pela sustentabilidade da autarquia. Para tanto, deve-se preservar o instrumento da negociação do Acordo Coletivo e em seguida oferecer condições digna de trabalho e de salário.

Após debate se chegou a conclusão que uma das possíveis saídas apontadas é transformar os direitos e benefícios do Acordo Coletivo em Lei Municipal na Câmara de Vereadores. Enquanto se define esta questão legal e financeira, a gestão do SAAE de Extremoz ofereceu o 6,57% (INPC de janeiro a dezembro de 2017) e após a solicitação dos próprios trabalhadores, a incorporação do Vale Gás de R$ 55,00 ao Vale refeição de R$ 440,00 reais que passa a ser de R$ 495,00 .

A proposta será apresentada em assembleia aos empregados do SAAE de Extremoz para análise para aprovação ou rejeição. Os trabalhadores saíram da mesa de negociação aliviados e satisfeitos com os resultados alcançados uma vez que foi preservado e conquistado o que foi possível diante do quadro de dificuldades.

   
Mais informações?
Entre em contato com o SINDAGUARN.COM.BR, mande seu recado, envie sua crítica ou sugestão. Enviar.