segunda-feira, 22 de maio de 2017

Fora Temer toma as ruas de Natal
Depois da divulgação de gravações em que o presidente Michel Temer (PMDB) apoia o pagamento de propina para silenciar o ex-deputado Eduardo Cunha, e ainda a prova de que o presidente liberou informações sigilosas do Copom para a JBS, a população foi às ruas exigir sua renúncia.

SINDAGUARN.COM.BR
Secretaria de Comunicação do Sindágua/RN

 

Depois da divulgação de gravações em que o presidente Michel Temer (PMDB) apoia o pagamento de propina para silenciar o ex-deputado Eduardo Cunha, e ainda a prova de que o presidente liberou informações sigilosas do Copom para a JBS, a população foi às ruas exigir sua renúncia. Os trabalhadores em saneamento e meio ambiente do RN engrossou a manifestação em Natal, em protesto que ocorreu no dia 19/05, no cruzamento das ruas Bernardo Vieira e Salgados Filho.

O intuito do Ato é exigir a saída do presidente Michel Temer e que junto com eles caiam todas as Reformas que visam retirar direitos da classe trabalhadora, bem como a revogação da lei da terceirização. Estudantes e alguns partidos políticos também pediam eleições diretas.

O caminho para o fim da instabilidade política que vive o país hoje é a realização de novas eleições diretas. Antes mesmo de estourarem os escândalos envolvendo o ilegítimo presidente Michel Temer, na semana passada, os brasileiros já haviam sinalizado a favor das Diretas Já. Segundo pesquisa do Datafolha realizada no final de abril, para 85% da população, o Congresso deveria aprovar uma mudança constitucional para permitir eleições diretas já.

A pesquisa também mostrou que a gestão Temer tinha 61% de avaliação ruim ou péssima e 28% regular. O próprio presidente, na época, disse ao jornal Folha de S. Paulo que tinha consciência de sua impopularidade, causada, entre outros fatores, pelas propostas das reformas da Previdência e Trabalhista. A pesquisa foi feita ouvindo 2.781 pessoas em 172 municípios, com margem de erro de 2 pontos. Pesquisas seguintes mostraram o aumento desse índice de reprovação.

 

   
Mais informações?
Entre em contato com o SINDAGUARN.COM.BR, mande seu recado, envie sua crítica ou sugestão. Enviar.