sexta-feira, 27 de maio de 2017

Trabalhadores protestam contra a privatização da CAERN
Governador Robinson Faria promete suspender edital com o BNDS

SINDAGUARN.COM.BR
Secretaria de Comunicação do Sindágua/RN

Os trabalhadores da CAERN escreveram mais um capítulo vitorioso em sua história de lutas e de conquistas. A categoria em mobilização realizada no dia 24/05 percorreu da Regional Natal Sul de onde se concentraram desde as primeiras horas da manhã para seguir em caminhada para a Governadoria solicitar do Governador Robinson Faria (PSD-RN) o fim de qualquer iniciativa do Governo do Estado que venha promover a abertura de capital, realizar PPIs - Programa de Parcerias de Investimentos, a venda da Empresa ou qualquer outra modalidade de privatização da Companhia que é o maior patrimônio do Povo Potiguar. Em uma atitude que mostra o poder de pressão dos caernianos e de atenção do Governador Robinson foi ao encontro dos manifestantes e reafirmou que “enquanto estiver no governo a CAERN não será privatizada”.

O movimento em defesa da CAERN ganhou inúmeras adesões depois das graves denúncias veiculadas na imprensa estadual e nacional envolvendo o governador Robinson Faria e seu filho, o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) que foram citados nas delações da JBS acusados de receber R$ 10 milhões em propina em troca da privatização da CAERN. Para os Caernianos restaram mais dúvidas do que certezas sobre as reais intenções do Governo do Estado sobre o futuro da Empresa. Desta forma, a direção do Sindágua/RN convocou os trabalhadores para a mobilização que teve boa adesão dos trabalhadores.

Os trabalhadores saíram da Regional Natal Sul da CAERN de onde estavam concentrados para seguir em caminhada empunhando bandeiras e faixas contra a privatização da Empresa. No carro de som seguiram palavras de ordem em defesa do saneamento público. “Vem vamos embora que esperar não é saber. Quem sabe faz a hora não deixa a CAERN vender” foi um deles.

“Não vamos permitir que a CAERN caia nas mãos de agiotas e especuladores que visam o lucro em detrimento a qualidade de vida da população e seus trabalhadores”, afirmou o presidente do Sindágua/RN Ricardo André destacando que “vamos cobrar do Governador Robinson Faria seriedade e transparência sobre suas reais intenções com a Empresa”.

A marcha teve a adesão do deputado estadual Fernando Mineiro (PT/RN) e do Robério Paulino (PSOL). Mineiro destacou que em sessão plenária na Assembleia Legislativa que “embora o Governo do Estado tenha voltado a afirmar que não irá privatizar, o objeto do pregão eletrônico do BNDES, que iniciou os estudos de viabilidade da CAERN e outras estatais do país, fala em contratação de serviços técnicos especializados para a estruturação de projetos de participação privada, visando a universalização dos serviços de fornecimento de água e esgotamento sanitário relativamente ao Estado do RN e à CAERN. A saída é simples: o governador deve tirar a CAERN dessa lista de empresas a serem estudadas e privatizadas”.

Os caernianos chegaram ao Centro Administrativo onde foram recebidos com grades que impediam o acesso a rampa do prédio da Governadoria. Os trabalhadores ficaram perplexos com a falta de cortesia e desconfiança logo começaram a solicitar uma audiência com o Governador Robinson Faria. Em pouco tempo um oficial da polícia militar foi ao encontro os trabalhadores esclarecer que as grades são um procedimento padrão de segurança e que logo mais iria passar a pauta encaminhada e ver a possibilidade de atendimento.

A mobilização cobrou que a CAERN permaneça pública e que tenha cada vez mais gestão profissionalizada e eficiente, bem como que seja cancelado o Edital do BNDES para impedir a privatização através da abertura de capital ou da PPI - Programa de Parcerias de Investimentos.

Algumas horas depois, o presidente da CAERN, Marcelo Toscano, veio ao encontro dos trabalhadores comunicar que o governador viria pessoalmente atender a categoria sem a necessidade de audiência, nem de formação comissão discutir as reivindicações.

Pouco tempo depois, acompanhado do Diretor Presidente da CAERN, Marcelo Toscano, e no meio dos servidores o Governador Robinson garantiu, mais uma vez, que não vai privatizar a companhia. “Enquanto estiver no governo, a CAERN não será privatizada” em seguida destacou que “está desfeita qualquer tipo de contrato mesmo de avaliação com o BNDS”, disse, recebendo o apoio dos servidores.

Os trabalhadores solicitaram ao governador Robinson Faria assinasse oficio e encaminhasse a CAERN suspendendo o edital com o BNDS. De pronto ele afirmou que vai atender a reivindicação, para tanto solicitou ao diretor presidente da CAERN, Marcelo Toscano, que elaborasse o documento cancelando o Edital que fosse assinado e divulgado para a categoria.

Na ocasião a direção da CAERN se comprometeu a encontrar uma solução conjunta com a direção do Sindágua/RN sobre os entraves jurídicos que emperram o início das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018.

Valeu a determinação, coragem e esforço dos trabalhadores que estiveram unidos em defesa do fortalecimento da CAERN como empresa pública e com gestão eficiente e profissionalizada. Vamos cobrar a assinatura e posterior divulgação do documento cancelando o edital do BNDS. É com luta que se vence companheiros!

   
Mais informações?
Entre em contato com o SINDAGUARN.COM.BR, mande seu recado, envie sua crítica ou sugestão. Enviar.